Colecione momentos..

"A única dúvida agora era.. Lutar ou recuar? Não, lutar seria.. Loucura! Então porque meu coração estava me dizendo desesperadamente que essa seria a escolha certa?"

- Letícia Andrade . Colecione Alegrias.

(Source: beautiqe, via realidade-paralela)

“Acredito que as pessoas aprendem com os próprios erros e com o tempo. Acredito também que quem traiu uma vez e foi perdoado vai trair de novo. Acredito que aquelas pessoas que vivem falando mal dos outros vão falar mal de você com esses outros. Acredito que as pessoas só mudam por vontade própria e nunca pelo pedido de outra pessoa. Acredito que tudo que eu acredito hoje vai mudar com o tempo. E que, no futuro, talvez, eu acredite em menos coisas. Ou em nada mais.”

—   Clarice Lispector.  (via palavrasconfusas)

(Source: nerdbipolar, via palavrasconfusas)

(Source: princesconsuela, via pipervauses)

“Acho muito mais honesto bater no peito e assumir o erro, pedir desculpa, perdão, seja o que for. Mas se eu estiver errada eu sinto total prazer em me redimir. A maior covardia de alguém é fazer uma pessoa inocente se sentir culpada.”

—   Carol Alves.  (via cultiveis)

(Source: promisse, via cultiveis)

(Source: ramarika, via agaysongbird)

“Quer um conselho? Não deixe pra depois, não empurre tanta bagunça pra dentro do armário. É tanta coisa que a gente enfia lá dentro, que quando precisamos abrir, tudo cai sobre nossas cabeças de uma só vez.”

—   Sabedorias.   (via sonhosvsrealidades)

(Source: sabedorias, via sonhosvsrealidades)

“As pessoas mais solitárias são as mais gentis. As pessoas mais tristes possuem os sorrisos mais brilhantes. As pessoas mais devastadas são as mais sábias. Tudo isso porque elas não querem ver ninguém sofrer da maneira que elas sofrem.”

—   Senhor José, 89 anos.   (via cultiveis)

(Source: effingos, via cultiveis)

“Sem morte, não há vida. Quem não morre, não renasce, não volta mais atento, não volta mais amoroso, não volta mais experiente, não volta. Vira cadáver já na primeira morte, que pode ter acontecido aos cinco anos, aos 12, aos 16: quando você morreu pela primeira vez?”

—   Martha Medeiros (via recitarpoesias)